sexta-feira, 4 de maio de 2012

A Era que está Nascendo: da Internetocracia (1a. parte)



Eu espero, ardente e operosamente, que consigamos evitar os confrontos, que este texto sugere ser inevitáveis, para que o novo nasça.

Minha esperança é que a Complexidade das Estruturas do Mundo Moderno, provocadas pelas interconexões de todos os tipos de sistemas, dos quais hoje somos profundamente dependemos, e que são muito sensíveis a qualquer tipo de distúrbio, bem como o nível de consciência que, acredito, já tenhamos alcançado, nos permitam fazer uma transição suave – não uma Reforma, nem uma Revolução, mas um Novo Começo. 

Abaixo minha pequena contribuição na tradução de trecho inicial para o Português.

Claudio.

The Coming Age of Internetocracy (2nd Edition) - 

A Era que está Nascendo: da Internetocracia


O texto de 65 páginas pode ser baixado a partir de:

Autor: “Agradeço também ao grupo político "Partido de Internet", da Espanha, por  traduzir este trabalho para a sua língua, assim como muitos usuários da página Internetocracy, no Facebook, que ofereceram suas idéias extremamente úteis e sugestões, muitas das quais estão incorporados a este livro.”

A Espanha quer inovar.
Em 2012 quando haverá eleições gerais, estão propondo a criação de um partido que só tomará decisões através dos votos dos eleitores pela Internet.

O lema deles:

¿Cansado de los políticos? ¿Decepcionado? ¡Mantén el control de tu voto! Vota al Partido de Internet. ¡Vótate!

Para saber mais, acesse a
Fonte:http://hecpeare.net/2008/11/26/partido-de-internet-elecciones-generales-2012-espana/
Marcadores: InternetPartido


This book is dedicated to that famous fellow who bravely stood before the tanks at Tiananmen Square
Too bad we don’t know your name...

Este livro é dedicado ao colega famoso que corajosamente se colocou diante dos tanques na Praça Tiananmen
Pena que não sei seu nome ...



Prefacio
Poucos meses depois deste livro ter sido escrito um movimento peculiar começou ... "Occupy Wall Street". No início, o movimento não parecia ter um propósito definido, mas com o passar do tempo tornou-se claro que muitas das reivindicações dos ocupantes pareciam ser compatíveis com as expressas neste livro.

Na hora de escrever a segunda edição o movimento continuava a crescer e onde ele vai dar eu não tenho idéia. Veja o posfácio para saber mais sobre este fenômeno e como se relaciona com Internetocracia..

Um item a mencionar ainda, antes de ler mais. Neste livro, a democracia representativa é usada como um termo “que engloba tudo” ("catch all") para designar qualquer sistema político em que os direitos de voto da maioria são confiados a um pequeno grupo de representantes eleitos. Isto inclui a república americana (discutida mais tarde no livro), confederações estilo canadense, assim como federações, monarquias constitucionais, etc Observe também que o nosso foco, ao longo deste livro, é o nível federal de governo.


Você faz as leis:
NÃO os partidos políticos
NÃO os representantes
Apenas Internetocracia



Quando as Idéias encontram as Armas de Fogo

Avancemos para outro lugar e tempo. Os jovens estão se rebelando. Eles enfrentam os tanques, eles enfrentam os exércitos das pessoas no poder.

Eles têm apenas armas rudimentares, mas eles têm uma causa: eles querem ter poderes para tomar decisões sobre as questões levantadas no seu Parlamento, seu Duma, seu Congresso.

Eles cresceram cansados de ser "representados" pelos políticos, quando, graças à internet, eles são capazes de representar a si mesmos.

Eles estão cansados 
​​de um pequeno segmento da população indevidamente influenciar esses representantes políticos de forma a beneficiar apenas a si próprios. Eles estão cansados ​​das corporações que pagam lobistas para influenciar esses representantes em seu benefício.

Em resumo, cada homem e mulher adulto deseja uma forma para influenciar os corpos legislativos do mundo, diretamente, sem o uso de um representante.

Finalmente amanheceu para as massas: a internet se desenvolveu de tal forma que elas podem estar diretamente envolvidas no processo político e a "Internetocracia" tornou-se possível.

Então eles se manifestaram pacificamente, e quando isso não funcionou, as manifestações tornaram-se mais agressivas, e quando estas não funcionaram, os protestos não-violentos começam a tomar um rumo feio, principalmente quando as manifestações pacíficas foram recebidas com violência.


Para reiterar, as massas não querem mais depender de um "representante", que é muitas vezes influenciado pela política do partido, os lobistas, ou a ganância pessoal. Isso não quer dizer que não existam alguns políticos bem intencionados mas, demasiadas vezes, mesmo estes estão representando a sua própria visão do que é bom e não o ponto de vista do seu constituinte.

***

Os protestos pacífico continuam mas, como as suas vozes não são ouvidas, as manifestações se tornam violentam. Milhares morrem, mas as pessoas no poder resistem. Eles não vão renunciar ao seu poder sem luta.

A mudança que está chegando é inevitável, e também insuportável para as pessoas no poder.

Essas duas forças estão prestes a colidir nos próximos anos.



Milhares sempre morrem quando uma nova idéia política toma conta da juventude. Pense na turbulência no Oriente Médio, em 2011, ou na Revolução Francesa, ou a Revolução Russa,
ou até mesmo a Revolução Americana. A mudança para uma idéia política, nova e totalmente revolucionária, raramente é alcançada através de meios pacíficos. A classe de pessoas no poder raramente desiste pacificamente.

Todas elas envolveram novas idéias políticas que sacudiram a base de poder existente, e todas elas resultaram em grandes mudanças no poder, mas não antes de milhares ou mesmo milhões haverem morrido.


“Há uma coisa mais forte do que todos os exércitos do mundo, e ela é uma IDÉIA cujo tempo tenha chegado” – Victor Hugo
Uma mensagem deste pensador trazida para você por Internetocracia.






A "Onda"

"Um grupo, conectado e motivado pode, agora, realizar tarefas consideradas impossíveis de outra forma, em velocidades e em escalas que estamos apenas começando a compreender." Larry Shaughnessy (correspondente da CNN).

Ela virá.

A mera existência da tecnologia para facilitar, e uma população infinitamente mais educada do que quando a primeira democracia surgiu, séculos atrás, significa que o movimento acabará por se levantar e será oposição aos poderes existentes, e o poder será superado pelo novo movimento.

Infelizmente, as pessoas poderosas de hoje não vão ficar de braços cruzados, assim é que a mudança só virá com a violência. Mas ela virá.

Eu sou:
( ) Republicano
( ) Democrata
(x) Desperto



A "Onda", descrita

O que virá? Qual é a "Onda" de que falo?

A idéia revolucionária de que falo é aquela de UMA questão, UMA pessoa e UM voto direto, apresentado na internet, com a assistência especializada de consultores especiais que ficam bem conectado com o mundo do seu ou da sua constituinte, usando as ferramentas de redes sociais, que surgiram ao longo dos últimos anos, bem como sites como o YouTube para fazer transmissões freqüentes e diretas  aos eleitores. El@ também aproveita a tecnologia para que assessores especiais possam passar mais tempo em reuniões estilo “salão da prefeitura da cidade” ou mesmo congressos de improviso, anunciados via twitter.

O diagrama a seguir é uma representação simplificada de tal "Internetocracy":






Compare o diagrama anterior a esse diagrama da atual paisagem política, jurídica, social e econômica:



Algumas questões vão parecer muito simples para o eleitor e ele ou ela vai precisar de muito pouca assistência do assessor especialOutros são projetos complexos, talvez um projeto de lei de livre comércio ou um projeto de lei para limitar a imigraçãoEsses projetos dependem fortemente do conselho do assessor especial para guiar as pessoas através das questões de peso.

Obviamente, o assessor especial ainda será uma pessoa de algum destaque exercendo poderes significativos, mas esses poderes serão significativamente menores do que os que os funcionários eleitos têm hoje. Em um sistema político representativo o oficial é  eleito para o cargo por um período de tempo e podem votar um projeto de lei como ele ou ela entender ... muitas vezes a reboque da linha do partido ou pior ainda; sucumbir à influência do lobby de um grupo de interesse especial, invisível. Mais frequentemente do que não esses grupos de lobby invisíveis são grandes corporações e os ricos.
Além disso, alguns sistemas políticos representativos permitem significativas contribuições para a campanha que, efetivamente, fazem o oficial eleito ficar em dívida com aqueles que forneceram os fundos para os eleger. Esses abusos são limitadas em um novo sistema onde os oficiais eleitos ou não existem ou não tomam as decisões finais, quando se trata de legislação.No sistema político representativo de hoje temos uma pessoa que pode eleger um representante. Este modelo, que foi revolucionário em uma época , tornou-se desatualizado. O modelo antigo era necessário por causa das grandes distâncias entre os centros de poder e os elementos constituintes.Hoje, a tecnologia fez estas distâncias irrelevantes. Com a internet, vem a capacidade de cada homem e mulher para estudar e votar em todas as questões. Os únicos requisitos são um dispositivo habilitado para internet, uma conexão à Internet e habilidade para ler e escrever.A capacidade de ler e escrever, ao menos informalmente foi pensado ser o requisito de ensino mínimo para votar, agora terá de ser acompanhado por uma outra exigência. Todos devem ter acesso à internet.A capacidade de cada homem e mulher de propor legislação e votar sobre a legislação em que eles têm interesse,  via Internet, com o apoio de assessores especiais que prestam aconselhamento sábio aos seus constituintes vai a partir deste ponto ser chamado de "Internetocracia". Como vai funcionar

Você se senta em seu computador. Você tem uma xícara de café ao lado do teclado, é um belo dia ensolarado. Você verifica seu email, seu Facebook, as notícias.Agora você efetua login no portal de votação.O portal de votação é uma conexão segura, assim como o que você usa para o banco, mas com uma aparência mais semelhante ao Facebook.
Há um punhado de temas que estão sendo consideradas pelo governo agora. Está interessado apenas em dois deles, assim você não vai votar nos outros.Você será considerado como abstenção para esses votos, e deixando as outras para os outros que desejam ter uma palavra a dizer.

Não é necessário que todos possam ser capazes de votar em cada projeto de lei. Uma pequena amostra aleatória da população é tudo o que é estatisticamente necessário contar com alta precisão que toda a população quer.
Mas nos outros dois você está profundamente interessado. Um envolve a reforma das prisões,   outro é um projeto de lei para alterar o limite de velocidade de 70 quilômetros por hora para 60.Você não tem permissão para votar até que tenha estudado as informações obrigatórias. As informações obrigatórias incluem um resumo do assunto, um resumo da proposta, e junto uma recomendação por escrito do assessor. Além dos documentos obrigatórios existem outros documentos considerados opcionais. Entre os documentos opcionais estão documentos detalhados, estatísticas, estudos e até mesmo vídeos do YouTube que oferecem um fórum para ambos os lados do debate. Os escritos, vídeos e outras comunicações de seu conselheiro serão fundamentais para ajudar o eleitorado a tomar decisões sábias.
Porque o sistema político é virtual, não mais necessitando representantes para "seqüestrar-se" ao centro do poder (Washington, no caso dos EUA, por exemplo), o seu conselheiro pode gastar muito mais tempo na região que representa, facilitando reuniões face a face, tipo "sala da prefeitura",  que também são transmitidas ao vivo, pela internet. No nível federal, o sistema seria, de fato promover mais contatos face-a-face, para discutir questões, do que a forma representativa atual de governo.

Durante reuniões "salão da cidade" sugestões  poderiam ser transmitidas de volta para a reunião na prefeitura para que aqueles que não puderam comparecer em pessoa ainda tem participação. Pense na Constituição da Islândia, que foi recentemente "originada da multidão", de tal forma.

Para tornar difícil que qualquer pessoa única possa consolidar poder político regional, o mentor / conselheiro representaria um grupo relativamente pequeno de pessoas daquela região (sugiro um máximo de 1000 cidadãos) e iria conduzir reuniões municipais relativas a legislação local, estadual / provincial  e federal. Você pode assistir a algumas ou todas essas reuniões, mas você não seria obrigado.

Além da orientação sábia do assessor especial, há também blogs de usuários sobre o assunto e uma página de comentários.  até mesmo uma página do Facebook que você acompanha, onde as questões são discutidas através dos postos de parede, notas, etc
Você leu alguns deles, mas eles também são opcionais.

Antes da votação você acabou de assistir a um  vídeo muito interessante do YouTube onde o problema está sendo muito debatido por ambos os defensores e detratores.

Há também uma biblioteca de vídeos no servidor do site ... E quaisquer debates face a face são  gravados e colocados na biblioteca de vídeo. Você pode fazer login a qualquer momento e vê-los. Quando você está pronto para votar, você pode entrar e fazê-lo. Você pode fazer isso direto, logo depois de ter feito a sua investigação obrigatória, ou dormir com ela, e depois votar. Ambas são aceitáveis ​​até que o voto seja lançado dentro da janela de votação. A janela de votação se estenderia semanas, com o status atual do voto apresentado logo que o voto for aberto. De modo a evitar "pensamento de grupo" os usuários não têm conhecimento dos votos a favor e contra até que a votação seja fechada. Vendo a atual direção da votação iria impelir alguns a votar com a maioria,quando poderiam ter votado de outra forma se não tivessem tido tal conhecimento.

Rever esses vídeos, blogs e comentários é opcional, mas os documentos necessários são o mínimo se quisermos ser elegíveis para votar em um assunto.

Você estuda esses documentos. Eles resumem a questão, e ambos os lados.

Você, então, vai a um fórum on-line onde você pode discutir o assunto com outras pessoas que estão interessados ​​nele. Você interage com os outros em tempo real. Uma pessoa dá-lhe seu número de telefone e você a chama para discutir.Você discute o assunto com um amigo via Skype.

Tudo isto tomou-lhe uma hora, em uma bela manhã de sábado.
Você fez sua pesquisa, você se sente pronto para votar mesmo que o prazo não se estenda por mais uma semana. Então você vota "Sim" para o projeto de reforma da prisão e "não" sobre a outra questão.

Você faz logoff da sua conta e vai para uma outra função importante: Seu encontro com uma prancha de surfe, na praia.



Proposta de Legislação

Então como é que a legislação pendente obtém apresentação?

Ideias para a nova legislação são "votadas" com um botão "Like", semelhante ao que existe no Facebook. Qualquer pessoa pode sugerir algo, assim como qualquer pessoa, com um ID de usuário, pode criar uma página no Facebook para qualquer problema. Assessores também podem recomendar idéias a serem apresentadas para debate e o respeito que têm em sua região, provavelmente, ajudam a empurrar as suas recomendações para mais perto do topo da lista.

Mesmo a seleção de seu consultor / mentor é simples. Apenas dê um "Like" nele como você faria no Facebook. Até que você dê um "Unlike" ele permanece como o seu consultor / mentor, mas você pode ter apenas um de cada vez. Veja a seção Liderança para obter mais informações sobre este assunto.

A aparência do portal de votação seria semelhante a do Facebook, mas a segurança seria muito mais rigoroso. Para uma discussão sobre segurança, consulte a seção intitulada "Uma palavra em tecnologia".


Uma única página irá mostrar os principais problemas federais, provinciais / estaduais e locais a ser considerados. Você teria permissão para votar somente uma, vez por assunto. Periodicamente, os principais problemas (top), como escritos e propostos pelo povo, seriam submetidos a uma votação formal. Os funcionários do governo, então, escrevem a legislação proposta, e colocam-na para debate, entre as pessoas. Seria, então, aprovadas em lei ou rejeitadas, conforme determinado pelo povo.


Para impedir as pessoas de "entupir' o sistema com inúmeras idéias frívolas para legislação a cada pessoa seria permitido apenas algumas recomendações em cada um dos níveis, local, estadual / provincial e federal, a cada ano.


Mesmo antes de a primeira lei ser votada, uma nova Constituição seria necessária para substituir aquelas que tornaram-se dolorosamente anacrônicas. Como mencionado anteriormente, a Islândia criou uma nova constituição, "gerada pela multidão", para substituir uma antiga, que foi criada no início do século 20. Muitos dos países do mundo ocidental têm constituições muito mais velhas do que a idade deles.


A formulação específica de qualquer legislação proposta deveria incluir a proporção dos votos necessários para a aprovação. 50%, mais um, seria o mínimo, mas muitas vezes uma maioria de dois terços seria recomendado na proposta. Os requisitos reais seriam estabelecidos na Constituição, ou outro documento orientador que fosse acordado na sua jurisdição.

Para reiterar, uma única tela no portal de votação iria exibir os top dez ou mais itens a serem considerados para a legislação de cada um dos três níveis de governo.Outra tela iria mostrar o status atual de toda a legislação atual que está sendo considerada, juntamente com um registro de resultados de votação. Ao lado de cada projeto de lei pendente haveria uma luz verde mostrando que o prazo de votação não é iminente, amarelo, se a votação se deve fechar dentro de uma semana, e vermelho, se o projeto de lei para ser decidido nas próximas 24horas.


Legislações antigas seriam também apresentadas da mesma maneira.Projetos de lei que passaram mostram uma luz verde, aqueles que foram retiradas temporariamente com uma luz amarela, e aquelas propostas que foram derrotadas com uma luz vermelha.


Novas propostas não poderia ser substancialmente substancialmente similares com  nada considerado nos últimos cinco anos.




About the Author
Lawrence Compagna is a management and information technology consultant who advises large public sector organizations on how to streamline both their processes and their information technology infrastructure to achieve greater efficiency and be more effective.

He resides in Southern California.

Correspondence can be sent to:

Lawrence Compagna é um gestor e consultor de tecnologia da informação que aconselha grandes organizações do setor público sobre a forma de agilizar os seus processos e sua infra-estrutura de tecnologia da informação para alcançar uma maior eficiência e ser mais eficaz.

Ele reside no sul da Califórnia.

Correspondência pode ser enviada para:

Box 437, 24 Roy Street, Seattle Washington. 98109


--

Atenciosamente.
Claudio Estevam Próspero 
http://mitologiasdegaia.blogspot.com/ (Blog: Mitologias de Gaia)
http://criatividadeinovao.blogspot.com/ (Blog: Criatividade e Inovação)
http://redessociaisgovernanaliderana.blogspot.com/ (Blog:Governança e Liderança em Redes Sociais)
http://reflexeseconmicas.blogspot.com/ (Blog: Reflexões Econômicas)
http://poltica20-yeswikican.blogspot.com/ (Blog: Política 2.0 - Yes, WIKI CAN)
http://www.portalsbgc.org.br/sbgc/portal/ (Comunidade Gestão Conhecimento)

Nenhum comentário:

Postar um comentário